publicado por Mundo Digital | Sábado, 28 Abril , 2012, 21:09

 

Processadores exclusivos do governo podem ter instruções específicas para melhoria da segurança virtual do país.

A China planeja investir em chips de computadores próprios. Segundo informação do site ExtremeTech, o governo chinês pretende criar sua própria linha de processadores para não depender de propriedade intelectual ocidental.

MIPS, Alpha, ARM, Power e UPU são os nomes das principais companhias que podem trabalhar na produção dos chips para a China. Todavia, não ficou claro se o país pretende investir em arquiteturas já existentes ou se a ideia é trabalhar com processadores com hardware e software específicos.

Como sugere o site ExtremeTech, o país pode trabalhar em um chip ISA (Arquitetura de Conjunto de Instruções) exclusivo por diversas razões. A primeira delas é que investir em tecnologias avançadas pode sair muito caro — cada patente da ARM, por exemplo, pode custar cerca de 5 milhões.

Outro bom motivo é que a China pode ter sua segurança virtual reforçada. Um processador com instruções específicas poderia trazer um hardware com restrições de IPs, dificultando invasões aos computadores do governo.


arquivos
links
pesquisar neste blog